Alunos da rede Estadual apresentam projetos com parceria de universidades públicas

Alunos da rede Estadual apresentam projetos com parceria de universidades públicas

A 1ª Mostra de Projetos de Residência Pedagógica visa exibir trabalhos desenvolvidos nas áreas de Biologia e Filosofia ao longo de dois anos

Os estudantes da Escola Estadual Ondina de Paula Ribeiro apresentaram, na quarta-feira (27/11), os resultados do Programa de Residência Pedagógica, projeto realizado com a parceria da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, Fundação Capes, Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA). A 1ª Mostra de Projetos de Residência Pedagógica tem como objetivo exibir os projetos desenvolvidos nas áreas de Biologia e Filosofia ao longo de dois anos.

O Programa de Residência Pedagógica busca a integração entre escolas, universidades e secretarias de Educação. Com isso, cada residente (graduando) é acompanhado por um professor (preceptor) da escola e por um docente de instituição de educação superior, com o intuito de causar a imersão do licenciando em uma unidade de educação básica.

De acordo com o gestor da escola, Maurício Silva, cada residente desenvolve um projeto com uma turma e, no final do ano letivo, acontece a apresentação e a defesa realizada pelos próprios alunos. “Esta iniciativa mostra o quanto é importante deixar com que os alunos desenvolvam suas próprias atividades e sejam responsáveis por seus projetos, pois, assim, conseguimos perceber o estímulo diante de outras disciplinas”, afirmou.

Finalista do curso de Filosofia, Joel Patrício reforçou o quanto que a iniciativa transforma graduandos e alunos. “Por meio deste projeto, nós conseguimos perceber o quanto os alunos são diretamente atingidos pela criatividade e pela possibilidade de ter acesso a outras perspectivas, visto que a educação, nos últimos anos, continuou firme em manter um espaço conservador e sempre inserido dentro das salas de aula, não permitindo, assim, que o estudante desenvolva outras habilidades ou se interesse por temas e assuntos de tamanha importância no nosso atual contexto histórico”, disse.

O estudante Elias Lobo, do 1ª ano do Ensino Médio, contou que, após a inserção dos residentes nas salas de aula, os alunos passaram a protagonizar suas atividades. “Eu percebo que este projeto tirou a passividade dos estudantes e nos permitiu ter acesso ao ensino construtivista, feito em conjunto por docentes e discentes. Hoje [quarta], temos a prova do quanto esta ação interfere diretamente nos nossos estudos, pois, ao nos estimular a execução de projetos como esses, permite que cada estudante possa desenvolver um pensamento crítico e diferenciado diante da educação tradicional”, destacou.

O trabalhos do curso de Filosofia apresentados pelos estudantes do Ensino Médio durante a Mostra aconteceram por meio de fanzines, exposições, produções e outras intervenções artísticas e filosóficas.

A preceptora do curso de Biologia, Andreza Pedroso, falou sobre o papel e a responsabilidade de orientar os graduandos recém-chegados ao ambiente escolar público: “Os estudantes que executam a residência estão em preparação para, também, assumir o papel de professor no futuro e, por isso, eu, como preceptora, percebo a importância de motivá-los e os impulsioná-los a realizar atividades como esta”.

Entre os trabalhos do curso de Ciências Biológicas apresentados pelos estudantes do Ensino Médio, estão: “Confecção de caixa entomológica como atividade prática para o ensino de zoologia”, “Heróis na Ciência – O uso de analogias com o universo cinematográfico Marvel para o ensino de citologia” e “Stop Motion: o ensino de Biologia e as NTIC’s no 2º ano”, para citar alguns.

O grupo do qual a estudante Vitória Gomes faz parte criou um site para auxiliar os alunos quanto a preparação para os vestibulares e processos seletivos, assim como, também, realizar divulgação científica. “O nosso site chama-se ‘Projeto Sapiência’. Todo o conteúdo que nele se encontra foi minuciosamente pesquisado pelos próprios alunos, o que nos tornou diretamente parte e construtores da ideia. Isso nos leva a enfatizar o quanto é importante que projetos como esse ocorram nas escolas públicas”, concluiu.

FOTO: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here